segunda-feira, 20 de julho de 2009

UMA VIAGEM INESPERADA

Silvio me avisou encima da hora. Estamos viajando para São Paulo ainda esta semana, porque ele tem que assinar uns documentos por lá. É uma viagem corrida: uns oito dias. E aí o tempo para escrever o próximo texto desapareceu, sendo assim, volto a remexer meu baú de lembranças e encontro um poema de 1996. Espero que gostem.


DESFAZER AS MALAS
(para Ana Lúcia, Elvio, Marilia e Elzinha)

desfazer as malas
é reviver momentos
cada peça retirada
um passo à frente
um passo atrás

espalhados pela mala
pequenos mistérios

o bilhete de trem
(agora amassado)
é paisagem e movimento

a entrada do show
um solo de jazz

desfazer as malas
é lavar e passar todas as roupas
é guardá-las no armário rotineiro
para depois
(muito depois)
encontrar esquecido no bolso do casaco
o sabor inconfundível de um cheese cake
na nota do café do guggenheim


(in pblower-à vista del ávila)





2 comentários:

Lúcia Russo disse...

Olá Patrícia,

Andei sumida, eu sei, mas "aqui me tens de regresso"...
Estava, e ainda estou, envolvida com o futuro atelier onde Bia e eu iremos trabalhar e, espero, criar muitas coisas bonitas. Estamos arrumando nosso espaço e na sua próxima vinda ao Rio, fazemos questão de recebê-la lá, para um café, uma conversa, umas boas risadas. É em Botafogo, ou seja, perto do seu grande apartamento, certo?
Adorei o poema, me vi desfazendo minhas malas e demorando séculos (segundo o meu marido, rs). Paro a cada pedaço de pael, amassado ou não, cada folder retirado nos hotéis, cada embalagem onde estão embrulhadas as lembranças que trouxe para os amigos, etc. Gosto desse momento, gosto de desfazer as malas ... pois assim crio a possibilidade de fazê-las novamente. Um grande abraço e boa estada em São Paulo.
Lúcia

Elza Martins disse...

Querida Pat:

Fazer e desfazer malas... Sair de casa antiga e chegar em casa nova! Essa sou eu.
Estou de mudança e vou iniciar a fase do guarda móveis. Vendi meu apartamento no Humaitá e agora estou em busca do novo na Barra. Enquanto isso acampo na casa de pessoas queridas que me acolhem me fazendo sentir quase em casa.

Mais uma fase na vida, que seja tão boa e produtiva como as que tenho tido até hoje. Beijos saudosos.