sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

CAMINOS VERDES


Caracas tem um trânsito caótico. Em setembro de 2006, cheguei à cidade e, entre o final do MBA e o fechamento do ano na Cultura, tinha somente cinco dias para escolher onde morar. Como em uma maratona, vi mais de trinta apartamentos. A principio, para meu mais absoluto desespero, todos ENORMES! Depois de algumas negociações, apenas grandes!! E finalmente, o que eu queria, os más pequeños!!!!! A idéia de ficar sem empregada, em uma terra estranha e com uma casa muito grande me apavorava.
A logística era assim. A corretora me ligava e dizia que tinha X apartamentos para mostrar e saíamos pela cidade à caça da caverna ideal. Por uma coincidência que só depois pude entender, todos os apartamentos ficavam a mais ou menos vinte minutos do hotel. Ela também me dizia que chegaria em vinte minutos, o que nunca acontecia. Chegava atrasada e me pedia mil desculpas, mas la cola estaba muy fuerte! Ou, em bom português, tinha pegado um baita engarrafamento. Mas que eu não me preocupasse, pois em vinte minutos estaríamos no apartamento a visitar.
Só depois entendi que tudo em Caracas fica a mais ou menos vinte minutos de onde você está, o que não significa que você chegará neste tempo estipulado. Como em um texto típico da literatura latino-americana da década de 60, por puro realismo fantástico, esses vinte minutos vão se transformando em trinta, quarenta, uma hora, duas, às vezes. Tudo depende da cola!!!
Imaginem uma cidade de mais ou menos três milhões de habitantes com o litro de gasolina custando zero virgula zero nove de real (R$0,09). Todos têm carro. De todos os tipos. De SUVs das mais sofisticadas até umas coisas da década de 50, sem cor definida, com vidros de sacos plástico e portas amarradas com cordas. Sem falar nas busetas(!), os micro-ônibus que atendem a maior parte do transporte público. Além dos motorizados (os cachorros loucos da terra), e também os moto-taxis. Existem ônibus escolares, como os americanos, bem amarelinhos, e ambulâncias que reclamam aos berros, pedindo passagem- “Mantenga la derecha!!! Mantenga la derecha!!”. Acrescentem a isto poucos sinais de trânsito e muitas manifestações de estudantes, médicos, sem teto, com teto, professores, oposição, situação...
Uma coisa bonitinha que aprendi em minhas aulas de espanhol é como se diz “furar o sinal” em venezuelano - “Comer la luz”. Todos sofrem de indigestão!
As regras básicas de condução de autos também diferem um pouco das nossas. Por exemplo, sempre se deve falar ao celular enquanto se dirige!

Me perdi!!! Me perdi!!! Eu ia falar dos caminos verdes!

Agregue ao caos viário, o fato de que não há indicações de nome de ruas e buscar um retorno nas autopistas, caso você tenha errado o caminho, pode significar algumas horas de engarrafamento. Não conheço ninguém que tenha começado a dirigir na cidade e que não tenha se perdido, pelo menos, muitas vezes. E, juro, não é brincadeira, mas meu GPS queimou! Pode ter sido coincidência, mas queimou! Talvez de desespero!

Entram em cena, então, os caminos verdes. Atalhos perfeitos que se pode tomar pelas colinas. São um emaranhado de estradinhas que levam a todas as partes, sem que se precise cair nas autopistas. Estreitos, normalmente com uma linda vista do Ávila, vão bordeando os engarrafamentos. Ligam um bairro a outro. Uma necessidade a outra. Do supermercado ao dentista. Do escritório de Silvio à ginástica...

Atalhos perfeitos que tecem uma teia de desejos atendidos.

Que no próximo ano, todos possamos ter em mãos os nossos GPS (Gerenciador de Projetos e Sonhos) funcionando perfeitamente e que possamos encontrar, sempre, novos caminos verdes, com lindas paisagens que nos levem em segurança as nossas metas mais almejadas. Não custa nada também pendurar no retrovisor uma fitinha do Senhor do Bonfim... que é santo forte e poderoso para abrir caminhos!
FELIZ 2009!!!!!!!!

6 comentários:

Bia Veiga disse...

Feliz 2009!!! E que o ano venha cheio de inpirações gostosas de tantas histórias bonitas, encantadoras e divertidas como esta de agora. Que linda a do canto do menino, muy linda!!!
Que bela história de Natal.
bjs e muito bom ano e que nos encontremos sim e nos conheçamos enfim ao vivo e a cores. Vamos, eu e Lucia, adorar conhecer essa amiga escritora, tão especial de Elzinha.
beijos grandes
Bia Veiga

Lucia Russo disse...

Ahhhh, mas a Bia já disse quase tudo o que eu gostaria de dizer, rs!
Isso fica por conta da nossa afinidade...
Patrícia, venha sim ao Rio! Vamos nos conhecer, venha reencontrar a Elza. Venha nos contar mais estórias.
Feliz Ano Novo!
Um beijo especial,
Lúcia

Alzira Willcox disse...

Mais um pouquinho de conhecimento sobre a Venezuela...
Adorei o GPS (gerenciador de projetos e sonhos)! Coisa mais linda a metáfora dos caminhos verdes! Espero que o meu GPS não queime; ele anda rateando um pouco.
Que o seu GPS funcione a mil e que os seus projetos e sonhos se concretizem em 2009.
Continue nos brindando com suas narrativas, prosa-poesia, que encantam e seduzem.
Bjs

Elza Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elza Martins disse...

Querida Pat:

Torço todos os dias para que 2009 consiga manter o padrão estabelecido em 2008. Consegui resgatar contato com tantas pessoas maravilhosas que estou começando a achar que eu devo ser uma pessoinha do bem para merecer tudo isso. Que o novo ano venha como este que se encerra, pleno de criatividade, poesia e amizade sincera.
Beijos carinhosos para você e para o Silvio que teve o talento e brilho reconhecidos profissionalmente.

Lucia Russo disse...

Olá ptricia,

Como foram as festas e comemorações por ai?
Venha visitar o blog!
Bjs
Bia e Lúcia