quarta-feira, 22 de outubro de 2008

JO HABLO PORTUNHOL!!!!!


Quando cheguei a Caracas, como boa brasileira, achava que falava um portunhol de altíssima qualidade. Afinal, espanhol e português, é uma questão de empatia ou de que time de futebol está jogando com a seleção brasileira.



Qual não foi minha surpresa e decepção quando descobri as agruras de se ser muda e surda. Apesar de todos os meus esforços, quando havia alguma comunicação, sempre muito precária, me perguntavam se eu era americana ou canadense. A resposta vinha rápida e angustiada: "No, No , no soy gringa!!! Soy Brasilena!!". Eles amam o Brasil, mas não conseguem entender nosso portunhol, pelo menos o meu era um fracasso.


Foi aí que conheci Jonathan... e também aprendi a prender la luz e a comprar enchufes!!!Depois de lerem o texto, tenho certeza, entenderão a foto.


JONATHAN, MÃOS SUJAS
(Caracas, Abril 2007)

Começar vida nova em um novo país. Chegar pela primeira vez à casa nova por volta da uma hora da manhã como oito malas, tendo começado a viagem doze horas antes. Niterói/Rio, passar pela ponte dizendo até logo para as duas cidades que me formaram, em que cresci e onde, ao longo dos anos, fui me descobrindo como pessoa. Depois São Paulo, Congonhas, Guarulhos, aeroporto Simon Bolivar, quase Caracas. Enfrentar uma grande cola por causa do feriado e de todos os caraquenhos que desceram para a praia. Chegar à cidade. Chegar ao apartamento. Ansiedade! Emoção! E um grande curto circuito no calentador que comprometeu parte da cozinha e todos os banheiros. Banho frio!
Por ser muito tarde, o banho foi mesmo frio, e a promessa de acordar e pedir apoio a Yanette, a conserje, era o que nos acalentava e aquecia. Mas o dia seguinte era Sábado de Aleluia, vacaciones! E ninguém trabalha. Menos ainda na Páscoa. Mesmo que a emergência seja grande. Um banho frio! Em todos os sentidos.
Como não há mal que sempre dure... a segunda-feira chegou, trazendo com ela Jonathan, el electricista. Era um rapaz franzino, mulato, de seus 22 anos. Apesar de ser da companhia de energia elétrica, não usava uniforme. Calças jeans, camiseta, tênis e um capacete como os usados pelos soldados nazistas na 2ª Guerra. "Buenos dias, senhora Patrícia. Soy Jonathan." "Buenos dias, Jonathan. Puede entrar", disse eu em bom portunhol.
Depositei nas mãos de Jonathan os meus futuros banhos quentes, relaxantes, revigorantes. As mãos de Jonathan...
Como não há bem que nunca se acabe ... as mãos de Jonathan eram as mãos mais sujas que eu já havia visto em toda a minha vida. Uma mistura complexa de graxa, muita fita isolante e o que mais se possa pensar que produza um tom negro absoluto, viscoso.
Tão logo Jonathan entrou na sala, percebi que tinha uma característica típica das pessoas que trabalham neste tipo de serviço. Uma característica universal, a meu ver. Encostava-se nas paredes. Minhas paredes brancas, novas, virgens.
Tive ímpetos de pedir para que parasse de se arrastar pelas paredes e fosse lavar as mãos, mas nem os meus dez anos de análise me possibilitaram tal gesto. Em que registro se pede para que o electricista, tão aguardado, pare tudo e vá lavar as mãos. Como se fala isso em bom espanhol, sem parecer uma criança de três anos, balbuciando pápá, mãmã, socuero! Jonathan, bá lavar sus manzitas, seu porquito!!!! E se fosse o registro errado? A pronúncia errada? E se ele, ofendido, partisse? Agüentei firme.
Ele, mãos sujas. Eu, mãos trêmulas.
O curto se mostrou mais grave do que parecia a principio, o que obrigou nosso especialista a passar por todos os cômodos da casa, deixando sua indelével marca por onde passava.
Eu começava quase a gostar das intervenções abstratas que iam surgindo nas paredes. Retas, sinuosas, obliquas... sempre negras. Pensava em Miró, em Kandinsky.
Jonathan me tirou de meu devaneio. Não dava para consertar. Tinha de sair e comprar novos enchufes, que descobri serem tomadas (e ainda por cima no masculino!), depois de muita mímica, de muita contorção das mãos imundas. Macho y hembra. Quanto devem custar tomadas macho e fêmea em Bolívares? Será que eu tenho dinheiro?
Depois de alguns cálculos, despediu-se deixando uma suave marca no hall de entrada... seu polegar esquerdo.
Voltou umas duas horas depois. Trazia todas as peças e a factura. Em menos de meia hora estava tudo resolvido.
Jonathan despediu-se com um aceno de cabeça. Ainda bem que não quis apertar minhas mãos! Deixou comigo o seu telefone, caso eu precisasse de algo.
Finalmente eu tinha água quente em casa. Nos banheiros e na cozinha. E foi com a água quente da cozinha e com MAS – Multiuso Limpia Todo- Espuma que rinde más! Que eu consegui limpar grande parte da sujeira das paredes.

Às vezes penso em Jonathan. Era jovem, solícito e tinha uma certa alegria ingênua no olhar. Podia ser meu filho. Mas se fosse ... Ah! Eu ia mandar ele lavar as mãos!






8 comentários:

ayabrag disse...

Patrícia

A foto diz tudo!!! Adorei. Parece que estou te ouvindo contar a história.

Karina Limeira Brandão disse...

adorei a história, li feliz, feliz, feliz, pela história e por estar novamente te lendo, querida Patricia, inspiradora de tantos dos meus poemas!!!! Q bom! Vou ler toda terça, pode deixar. bjos grandes.

Celina disse...

Ok! terças com Patrícia....antes ou depois do Toma lá dá Cá...Te cuida Miguel Falabella!

Fernando disse...

Oba, agora as terças serão um eterno fim de semana!!!! O coração está aqui com um sorriso pueril de orelha a orelha, ou seria de ventrículo a ventrículo? rs
Adorei o causo... que venha a próxima terça-com-cara-de-weekend.

Bjs mil

Bel disse...

Oi Patrícia!!

Obrigada pelo recado, adorei!

A gente nem se conhece pessoalmente, mas já te conheço pelas histórias que a mãe conta daí!

Fico feliz de pessoas queridas como tu terem aparecido nessa fase venezuelana da mãe! Ela adora vocês, os almoços e as fofocas!

Juízo hein meninas!!

Beijão!!
Bel.

obs: LINDAS as fotos do seu blog!! Adorei!

Bia Veiga disse...

Patrícia,
que delícia ler sua história tão divertida, rsrsrs...
Como te disse já sou fã. Mas tem alguém por aqui que também faz uma campanha enorme!!!! Sua amiga Elza lembrou da terça e enviou e-mail, rsrs.... Muito bom!!!
Bjs e boa semana daqui prá frente.
Bia

ayabrag disse...

Estou aguardando impacientemente pelo teu texto de amanha. Te estrañamos mucho de menos. Besos

Márcia T. disse...

Patrícia querida, eu já te admirava muito, mas lendo teus textos, descobri uma Patrícia que eu ainda não conhecia. Linda surpresa!
Você me emocionou e me fez rir ao mesmo tempo.
Abrir teu blog, será parte das minhas "inúmeras" atividades como uma I.V em Caracas....
Beijos com muito carinho!